Ciência amplia nossos horizontes no Universo

Não comprovamos a existência de vida fora da Terra, mas demos um importante passo neste sentido ao descobrir um sistema com sete exoplanetas, “vizinho” do Sistema Solar. Sua distância da Terra, de 39 anos-luz, é considerada pequena para os padrões astronômicos, mas, ainda assim, o instrumento mais veloz já construído pelo homem – a nave Juno, que viaja a 265 mil quilômetros por hora – levaria quase 160 mil anos para chegar lá.

“É a primeira vez que tantos planetas desse tipo são encontrados em um só sistema planetário. Eles estão em órbita muito estreita entre si e muito próximos de sua estrela, mas ela é tão pequena e fria que os planetas são temperados. Por isso, poderiam ter água líquida e, por extensão, teriam condições de abrigar vida”, disse o astrofísico Michaël Gillon, da Universidade de Liège, na Bélgica, autor do estudo publicado em fevereiro/2017 pela revista científica Nature.


Estimativas iniciais sugerem que os novos planetas têm tamanho e massas semelhantes aos da Terra e composições rochosas. Além disso, suas temperaturas variam entre 0 e 100 °C – característica favorável para existência de água em estado líquido. “A descoberta nos dá uma pista de que encontrar outra Terra não é uma questão de se [ela existe] mas de quando”, afirmou Thomas Zurbuchen, diretor da área de missões científicas da NASA. “Responder se estamos sozinhos no Universo é uma prioridade máxima da ciência e descobrir tantos planetas como esses pela primeira vez na zona habitável é um notável passo adiante em direção a esse objetivo”, completou.

Leia mais:
Cientistas descobrem sistema planetário com sete irmãs da terra – Estadão

Veja como a NASA imagina um dos planetas recém-descobertos – Visão 

NASA telescope reveals largest batch of earth size habitable zone planets around – NASA

©2020 Tempo - Centro de Estudos da Mente

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?